Quer saber qual é o futuro do Marketing Boca a Boca? Quais as tendências para os próximos anos? Nesta minha entrevista com Dan Sullivan Co-Fundador e CEO da CROWDLY, conversamos sobre o que é Marketing Boca a Boca, marketing de defensores, a importância das métricas em marketing boca a boca, o que não funciona em Marketing Boca a Boca e claro sobre o futuro desta forma poderosa de marketing.

Se você acha que “marketing de influenciadores” é tendência de futuro para o marketing, vai se surpreender com esta entrevista 😉

Me diga nos comentário o que achou? Acredita que faz sentido para o seu negócio o que conversamos na entrevista?

Se precisar, você pode ativar as legendas em português clicando no “Legendas Ocultas”no vídeo do Youtube.

Para quem preferir, segue abaixo a transcrição da entrevista em português:

Cristiano: Então, hoje eu tenho aqui Dan Sullivan ele é  co-fundador e CEO da Crowdly.

Então, eu vou começar pelo início, o que é Marketing Boca a Boca para você?

Dan Sullivan: Então, Marketing Boca a Boca para mim é realmente focado em torno de amigos dizendo ao seus amigos coisas que realmente importam. Pessoas  reais dizendo coisas que realmente significam para elas, para pessoas que elas realmente conhecem.

Cristiano: Legal. Você poderia nos contar um pouquinho da Crowdly e sobre o que vocês fazem lá?

Dan Sullivan: Sim, então nós realmente acreditamos no marketing de defensores. Então, para o Marketing Boca a Boca estamos focados exclusivamente em marketing de defensores de modo que nós trabalhamos com grandes marcas que possuem esse “ativo” em que as pessoas realmente os amam e o que somos capazes de fazer é que nós temos uma quantidade significativa de produto e nós temos 12 patentes e um milhão e meio de linhas de código e nós gerenciamos vários serviços em cima disso, então o que fazemos é encontrar os melhores clientes defensores que são essas pessoas que defendam a marca.

Cristiano: Nas mídias Sociais?

Dan Sullivan: Geralmente nas mídias sociais, então inicialmente nós “ouvimos” para encontrar pessoas que são influenciadores da marca, pois não é apenas aqueles que estão falando sobre a marca com frequência, mas quem realmente está se engajando e dirigindo algo positivo, e estes não são influenciadores profissionais, estas não são pessoas que são pagas ou patrocinadas ou inscritas, em quaisquer plataformas, então, para chegarmos a essas pessoas na base de “um para um” e ativá-los ou conectá-los próximos a marca para fazê-los falar o que amam sobre a marca e potencializar estes valores e também de diferentes maneiras de um-para-muitos na perspectiva de que você pode ter um monte de clientes felizes e que amam a sua marca, mas não falam sobre o quanto amam sua marca nós realizamos algumas ações para transformá-los em defensores ativos e realmente criar

uma ampla escala de verdadeiros “amantes da marca” que estão dispostos a falar sobre a marca que eles amam.

Cristiano: Muito bom. Você prefere grandes celebridades na internet ou os micro influenciadores? Qual você acha que é o melhor para as marcas?

Dan Sullivan: Quer dizer, eu acho que se você vai olhar celebridades da internet se você vai trabalhar com celebridades da internet, você tem que olhar para isso como um modelo “patrocinado”. Eu penso que sempre haverá um lugar para isso. Nós realmente não nos consideramos micro influenciadores. Há também um monte de plataformas de sorteios, concursos que são realmente “spamy” (que enviam “spam”), você sabe, twittar isso por uma chance de ganhar um cartão de presente, assim por diante. Então, no final há muito pouco dos micro-influenciadores existem por aí muitas plataformas de sorteios e concursos que geram muito spam. Eu penso que nosso modelo é realmente trazer os defensores da marca para a conversa as pessoas que você conhece na vida real.

Eu nunca comprei um produto porque um influenciador me disse para comprar, mas eu comprei meu último carro, meu snowboard, você sabe, meus tacos de golfe porque amigos me disseram para comprar,  amigos que eu conheço e confio e que sabiam sobre essas coisas e estão falando sobre elas porque realmente se importam com isso.

Dan Sullivan: Eu acho que essa tem sido a coisa mais eficaz nos últimos 100 anos e agora todo mundo criando conteúdo dez vezes por dia sobre as coisas que eles se importam e que eles amam e eles estão conectados com todo mundo que eles conhecem então encontrar esses defensores da sua marca que realmente te amam e podem falar sobre você de uma maneira mais informal para as pessoas que você conhece, seus amigos, sua família no seu círculo é realmente capaz de se fazer, ampliar em escala eu acho que realmente é onde está a maior oportunidade

Cristiano: Ok, entendi

Cristiano: Você tem alguma visão do futuro? De como a “indústria de Marketing Boca a Boca” nos EUA que é onde você vive? Quero dizer: Qual o futuro do Marketing Boca a Boca aqui?

Dan Sullivan: Sim, então eu penso que o crescimento do boca a boca é algo inevitável temos as gerações mais jovens e todos estão se tornando cada vez mais “ad blind” e “ad Skeptical” (pessoas que não olham e não acreditam mais em anúncios) você sabe, a sua marca não é mais o que você diz sobre você mesmo, e sim o que outras pessoas dizem sobre você quando você não está lá então, para “empoderar” sua marca e se importar de verdade para continuar com as pessoas que amam você e amam o seu  produto e sua marca eu acho que essa oportunidade é incrível eu acho que está se modificando da versão inicial que era, você sabe, definir um “proxy” próximo para comprar mídia que você tinha que se concentrar em algumas celebridades da internet ou influenciadores e obter o meu você sabe, CPM e meus “milhões” de alcance. Eu penso que a tecnologia está evoluindo para ser você sabe, ter uma base mais ampla de pessoas reais, inicialmente nós tivemos a TV onde as marcas anunciavam para os clientes e, em seguida, social são as marcas interagindo com os clientes.

Dan Sullivan: A primeira onda do marketing boca a boca eu acho que foi os influenciadores que atuavam em nome das marcas e eu acho que a fase em que estamos agora é o “cliente para cliente”, eu penso que esta é a maior oportunidade que está surgindo e para onde está indo. Eu penso também que para a indústria do marketing boca a boca, como a maioria das coisas da fase um, quando é a primeira fase, todo mundo fica animado com essa novidade acontece um grande impulso, mas não existem métricas. Eu acho que as métricas serão realmente o eixo chave em torno desta próxima evolução do marketing boca a boca, você sabe, eu penso que veremos o marketing de defensores vai se tornar uma parte muito maior dessa oportunidade e para onde quer que as marcas caminhem para se tornarem mais inteligentes e evoluírem elas irão procurar maneiras reais de medir isso e se realmente foi impactante

Cristiano: Ok. Então, Dan, muito obrigado por essa oportunidade de conversar com você, isso foi incrível, realmente incrível. Muito obrigado e eu espero poder te ver em breve.

Dan Sullivan: Absolutamente, sim, obrigado por esse momento, foi ótimo. Absolutamente.